Mensagem do Presidente

Caros colegas,

As primeiras palavras são para agradecer, em nome dos corpos sociais eleitos, a confiança depositada na equipa que vai agora iniciar o seu mandato.

A realidade de hoje é bem diferente daquela vigente há cerca de 30 anos – no momento da fundação da nossa associação.

Assiste-se a uma maior heterogeneidade dos Serviços de Gastrenterologia dos hospitais afiliados. Temos de um lado hospitais com um quadro médico significativo, internos da especialidade e com uma dinâmica produtiva e científica marcada e por outro, hospitais mais periféricos, em zonas de baixa densidade, com problemas na sua capacidade assistencial.

Compete à Direção do NGHD, dentro das suas possibilidades, alertar para alguns desequilíbrios que se foram gerando ao longo dos anos na distribuição dos gastrenterologistas pelo país.

Continuaremos a defender a qualidade da prática gastrenterológica no todo nacional.

O NGHD irá manter-se aberto à adesão de outros profissionais de saúde e apoiará as suas iniciativas de natureza científica.

Por último reforçar uma vez mais a grande aposta desta Direção: o afinar dos processos com vista ao incremento e facilitação de estudos multicêntricos. Ainda neste âmbito é nossa intenção fomentar e reforçar a cooperação institucional com a nossa congénere francesa – ANGH, para que mais estudos científicos possam surgir.

Contamos com todos para a continuação do trabalho de projeção do NGHD.

Obrigado,

Abrantes, 26 de novembro de 2015

João Baranda

Presidente da Direção do NGHD

 

Caros Colegas,

No triénio 2013-2015 cabe-me a responsabilidade de presidir à Direção do NGHD. A nossa visão da organização é de continuar e complementar o trabalho já realizado e de reforçar a actividade do NGHD, no estrito respeito dos Estatutos recentemente alterados, com os seguintes objectivos:

1.Aumentar a área de influência do NGHD através do maior número de serviços e de sócios, para conseguir uma maior cobertura da população.

2.Elaborar ferramentas de trabalho, nomeadamente no site do NGHD, que permitam que aos serviços que integram sócios utilizar documentos e protocolos elaborados por outros (no âmbito da associação), fortalecendo a partilha de informação e, no final, facilitando a actividade clínica.

3.Desenvolver registos e estudos multicêntricos que permitam responder a questões clínicas concretas e que nos posicionem, na Gastrenterologia nacional, como os parceiros preferenciais junto das populações.

4.Trazer novas áreas de conhecimento e de desenvolvimento e reforçar algumas áreas menos exploradas.

5.Promover a vinda de novos membros associados, quer médicos quer outros profissionais da saúde, de modo a dinamizar outras áreas do saber, complementar e melhorar a nossa actividade

6.Cooperar e criar relações institucionais fortes, com a Medicina Geral e Familiar para a constituição de redes locais nas áreas dos diferentes hospitais pertencentes ao NGHD.

7.Promoção da Gastrenterologia junto da população, através da criação de redes de informação, para a divulgação dos problemas de saúde mais relevantes na área da Gastrenterologia.

8.Colaborar com outras entidades congéneres no país e no estrangeiro e promover a realização de trabalhos científicos e de divulgação conjuntos.

9.Introduzir os objectivos da qualidade em todos os diferentes aspectos da atividade clínica e assistencial.

Com o cumprimento dos objectivos elencados pretendemos contribuir, através da acção do NGHD, para o desenvolvimento da Gastrenterologia em Portugal e para fortalecer a colaboração com as especialidades Médicas que partilham interesses mais próximos das nossas áreas do saber e, em última análise, reforçar os elos de ligação com a população que servimos.

José Estevens

Presidente do NGHD

 

MENSAGEM DO PRESIDENTE (Biénio 2011/12)

Em 12 de Novembro de 2010 na Assembleia Geral Ordinária do NGHD, que decorreu durante a XXV Reunião Anual, em Monte Real, foram eleitos os Corpos Sociais para o biénio 2011/2012. Os Sócios presentes confiaram, na Direcção a que tenho a honra de presidir, a gestão dos destinos do Núcleo que completou há um ano um quarto de século. Durante este longo período passámos por momentos difíceis e momentos de maior pujança. Tal como foi previsto na mensagem do Presidente que me antecedeu (J. Pedrosa) estamos numa fase de crise, diria que, neste momento no epicentro desta. Nos momentos de crise torna-se indispensável conjugar esforços e contamos pois com a colaboração de todos os sócios. As actividades do NGHD devem ter uma perspectiva de continuidade e é assim que entendemos a passagem pela Presidência da Direcção, honramos o passado e planeamos o futuro na acção actual. Consideramos indispensável implementar um projecto de longo prazo que una os Sócios, aproveitando as sinergias resultantes da distribuição Nacional dos Hospitais afiliados, difundindo o conhecimento técnico-científico e a experiência acumulada na Comunidade Médica próxima, atraindo os profissionais de saúde não médicos que integram as nossas equipas no trabalho diário e sedimentando as relações internacionais.

Pensamos que será determinante para o futuro do NGHD conseguir aumentar o peso da sua actividade científica realizando mais estudos multicêntricos e para o conseguir idealizámos estruturas organizativas que permitam ultrapassar as limitações sentidas pelas Direcções que nos precederam. Todos somos poucos para conseguir atingir objectivos ambiciosos. Assim, criaremos condições para que uma estrutura intermédia funcionalmente dependente da Direcção ajude a planear, escrutinar e desenvolver projectos de investigação. Começaremos com uma Comissão Científica que poderá vir a constituir o alicerce de um futuro Conselho Científico. Procuraremos difundir a ecografia gastrenterológica entre os nossos associados e para atingir este objectivo começaremos por disponibilizar capacidade formativa através de curso de iniciação. Fomentaremos Reuniões Monotemáticas dirigidas aos colegas de Medicina Geral e Familiar. Procuraremos desenvolver trabalho cooperativo multicêntrico com a ANGH.

A Reunão Anual constitui ponto alto nas actividades do NGHD e as próximas reuniões em Viana de Castelo e Guimarães estão planeadas atempadamente para que constituam assinalável sucesso. Por fim e apesar de último ponto não deixa de ser importante: aumentar a capacidade do secretariado de apoio à Direcção e naturalmente a todos os sócios. Sente-se a necessidade de uma correcta gestão de ficheiros de sócios, controlo de pagamentos de quotas, emissão de declarações, tratamento de correspondência, etc. Temos um espaço que funciona como sede física, falta-nos o secretariado para completar o regular funcionamento de uma associação como a nossa. Tal como afirmei no início, não pretendemos esgotar todos estes projectos, mas ficaremos satisfeitos se for possível lançar as sementes que virão, algumas delas a dar futos, não necessariamente no horizonte limitado da vigência desta Direcção.

Castelo Branco, 1 de Março de 2011

António Banhudo

Presidente da Direcção do NGHD

 

Caros colegas

como todos sabemos, o Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais (NGHD), fundado na década de 80, teve um papel primordial no desenvolvimento da Gastrenterologia nacional, particularmente na prática clínica exercida fora dos grandes centros hospitalares, que servem a maioria da população e que, naquela altura, contavam com um reduzido numero de gastrenterologistas, com condições de trabalho muito deficitárias. A realidade atual é completamente distinta daquela vivenciada há mais de 30 anos e, felizmente, dispomos hoje de hospitais afiliados do NGHD que contam com gastrenterologistas altamente diferenciados, excelentes condições de trabalho, notável capacidade de formação, de ensino (universitário e pós graduado) e de investigação que os equipara aos hospitais mais desenvolvidos, quer nacionais quer internacionais. Os médicos em formação nos hospitais afiliados do NGHD têm, de uma forma global, as mesmas possibilidades de formação que os seus colegas em formação noutros hospitais e temos vários hospitais afiliados que prestam formação da especialidade a internos de hospitais antes designados como "centrais". Por este motivo tem-se questionado a existência do NGHD e de qual o seu papel no panorama atual da gastrenterologia nacional.

Consideramos que os desígnios que levaram à formação do NGHD, há mais de 3 décadas, ainda se mantêm e, se nos congratulamos com a evolução anteriormente descrita, há ainda hospitais onde esta evolução não foi tão marcada e que se debatem atualmente com escassez de recursos humanos e técnicos bem como com condições de trabalho deficientes, o que obrigatoriamente se traduz num prestação de cuidados que fica aquém do desejável. Por estes motivos e porque a vontade de melhorar e de evoluir existe nos sócios mais antigos do NGHD mas também na nova geração de gastrenterologistas (em formação ou recém-especialistas) consideramos que há ainda um amplo espaço de melhoria e de aperfeiçoamento onde o NGHD possa ter o seu contributo.

A atual Direção pretende dinamizar e promover o estabelecido nos estatutos do NGHD no que se refere à avaliação da prestação de cuidados de âmbito regional e à sua melhoria, melhorar a colaboração com os cuidados de saúde primários , aproximando-os dos cuidados hospitalares mais diferenciados, de forma a obter uma melhor gestão dos recursos humanos e técnicos disponíveis, com eventuais ganhos em saúde. Mantem-se a preocupação em promover a investigação científica, nomeadamente através da dinamização de estudos multicêntricos de âmbito regional de forma a que o melhor conhecimento da realidade nacional e a partilha de experiências entre os vários centros permita melhorar o prestação de cuidados, objetivo primordial da nossa associação. De acordo com o referido anteriormente e, relacionado com o enorme desenvolvimento verificado em muitos dos hospitais afiliados do NGHD, julgamos ainda que o NGHD pode desempenhar um papel relevante na promoção da difusão de conhecimentos e boas práticas incentivando os médicos em formação ou recém especialistas a exercer a sua pratica em hospitais de âmbito regional a complementarem os seus conhecimentos nestes centros que apresentem condições, recursos e experiência de formação em áreas especificas.

Consideramos que com colaboração de todos os sócios e membros associados do NGHD, em exercício nos vários Hospitais afiliados, será possível atingir estes objetivos e manter o espírito de aperfeiçoamento científico e técnico preconizado nos estatutos da nossa associação científica, de forma a melhorar a prestação de cuidados no âmbito da nossa especialidade.

Luísa Glória

Presidente do NGHD

Loures, 30 de novembro de 2018