Caso Clínico Março 2020

Maria Margarida Carvalho1, Andreia Rei1, Ana Laranjo1, Carlos Quintana2, Lurdes Gonçalves1, Isabel Medeiros1

1 – Serviço de Gastrenterologia, Hospital Espírito Santo – Évora

2 – Serviço de Anatomia Patológica, Hospital Espírito Santo - Évora

Homem, 60 anos, com antecedentes de Hipertensão arterial, admitido no serviço de urgência por hematemeses e lipotimia de início no próprio dia, referindo dejeções sugestivas de melenas e desconforto abdominal ocasional nas 6 semanas precedentes. Ao exame objectivo, encontrava-se hipertenso (TA 151/88mmHg) e taquicárdico (113bpm) e, analiticamente, com anemia microcítica hipocrómica grave (Hb 4.9g/dL, VGM 75.3fL e HGM 24.5pg), ureia aumentada (100mg/dL) com creatinina normal (1.05mg/dL). Após estabilização, foi realizada Endoscopia digestiva alta (EDA), que mostrou volumosa lesão subepitelial, centralmente ulcerada, com cerca de 40-50mm, localizada na vertente da grande curvatura da transição corpo/antro. Foi efectuada apenas uma biópsia complicada de hemorragia pulsátil imediata com necessidade de hemostase. Por resultado histológico inconclusivo repetiu-se EDA para biópsias que permitiram estabelecer o diagnóstico.

 

Resposta Correta: Tumor do estroma gastro-intestinal (GIST)

Vencedores:
Irina Mocanu
Rui Mendo
Marisa Vieira
Tânia Gago

  • Caso Clínico Março 2020
  • Caso Clínico Março 2020
  • Caso Clínico Março 2020
  • Caso Clínico Março 2020

voltar