Casos Clínico de julho de 2019

Marta Patita, Despina Argyropoulou, Gonçalo Nunes, Pedro Pinto-Marques, Manuela Canhoto

Hospital Garcia de Orta

Homem, 49 anos, com antecedentes de infeção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) (classificação CDC B3), sob terapêutica anti-retroviral, com carga viral não detetável e com contagem CD4+ de 578 cél/mm3. Apresentava queixas de proctalgia intensa com 3 meses de evolução. A ressonância magnética pélvica revelou espessamento do recto inespecífico.

Realizou colonoscopia que revelou nos 10cm distais do recto mucosa edemaciada, com extensa ulceração e friabilidade. Efetuadas biópsias que permitiram o diagnóstico.

Qual o diagnóstico mais provável?

  1. Proctite a Herpes Simplex
  2.  Proctite a Citomegalovírus
  3. Sífilis Rectal
  4. Proctite associada a Neisseria Gonorrhoeae

Resposta correta: Sífilis Rectal

Vencedores: Pedro Marcos

                     Rui Mendo

  • Casos Clínico de julho de 2019
  • Casos Clínico de julho de 2019
  • Casos Clínico de julho de 2019
  • Casos Clínico de julho de 2019

voltar